2 de abril de 2015 Denise Cocentino
Compartilhe...
Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+1Share on LinkedIn0

Mídia social x mídia tradicional

Se até o início do século 21, a TV era a grande influenciadora de consumo no mundo, esse cenário vem sendo modificado com a democratização da internet móvel e a expansão dos usuários de redes sociais, a atenção dos expectadores estar dividida entre o que passa na TV e o conteúdo que chega em seus feeds de notícia na mídia social.

Assim como Don Drapper em Mad Men consegue imprimir desejos de consumo, marcas e produtos com o uso das mídias tradicionais, as grandes empresas de comunicação passam a olhar para esse novo cenário como terreno fértil para influenciar o consumo na plataforma digital, tornando cada vez mais presente a cultura da convergência estudada há tempos por pensadores como Henry Jenkins. As redes sociais ganham força e passam a dividir a atenção quase exclusiva que a TV tinha do expectador. O que é pauta na tv é discutido nas redes sociais, assim como temas que surgem na interação de usuários, ganham repercussão nos principais canais televisivos.

Pensando em medir essa influência das mídias a CivicSciense realizou uma pesquisa com mais de 17 mil adultos durante dois anos, que revelou períodos de sazonalidade de influência entre os anúncios da TV e a mídia digital. Tal sazonalidade acontece por muitos fatores: clima, idade dos consumidores e até mesmo na programação da TV. A pesquisa revela ainda o perfil dos mais influenciados por comentários nas redes sociais: pessoas de 18 a 29 anos, em sua maioria com tendência feminina, que fazem compras pela internet, preferem restaurantes casuais e estabelecimentos locais e fazem uso frequente de devices digitais até mesmo para assistir TV. É nesse público que os anunciantes precisam focar: pessoas que levam em consideração o que é debatido em comentários, expõe seus questionamentos na mídia digital e vivem esse hibridismos.

É imprescindível levar em consideração hábitos dos seus consumidores e manter esses dados sempre atualizados. Quem ainda não consegue pensar fora da caixa toma uma distância cada vez maior da realidade vivia por um grande público.

Compartilhe...
Share on Facebook1Tweet about this on TwitterShare on Google+1Share on LinkedIn0

Comentários

comentários

Tags: ,